Fragmentos de uma história incontável

Eu desejei ver a partir dessa janela, curti e comentei.

 

Não é que não se pode escrever ou descrever.

É que, sem viver não dá pra traduzir,

tem que conhecer, tem que desejar estar ali.

 

Estar lá é poder passear por um passado presente.

Presente em cada conversa, em cada objeto,

dá pra ver que tudo tem seu lugar.

 

Cada prato que decora, cada copo que bebe a água que vamos beber,

ali tem seu passado a limpo bem presente, como num Olimpo.

Muqui, esse monte que é sem cristais, onde o pratinho que fica dentro do prato,

É verdade! descombina de fato, porém não desembota o olfato.

 

Lugar que deixa ágil o desejo de parar o tempo,

pra que eles sejam sempre assim,

mais um casal de pais pra mim.

 

Foram dias perfeitos e quando fecho os olhos,

conto pra mim mesmo essa incontável história.

2 thoughts on “Fragmentos de uma história incontável

  • Que coisa linda, Léo! Não sabia que nosso cantinho no pé da serra era tão poético.
    Lembrei-me de uma frase do cancioneiro do norte de Minas ” Não chega a ser um pontinho preto no mapa, mas quando a gente se afasta, coração pede prá voltar”
    Amei. Volte sempre!

    • Olha aí, tá vendo como é incontável? a pergunta que fiz a Marina ao chegar as 22h da noite (como eles vieram parar aqui?)… cansados de um dia intenso e fomos surpreendidos não apenas pelo lugar e a luz da penumbra, vocês nos amaram com seus sorrisos e um jantar com prato dentro de outro prato rsrs, dormi ansioso pra ver aquele lugar a luz do dia.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: